+351 21 842 71 00

OM apela à retoma da 1ª época de avaliação final do Internato e dos concursos médicos

Ordem dos Médicos insiste com Ministério da Saúde para retomar a 1ª época de avaliação final do Internato Médico e reativar todos os concursos médicos

A Ordem dos Médicos apela ao Ministério da Saúde que reagende as provas de avaliação final do Internato Médico, assim como os procedimentos concursais para assistente graduado sénior e para obtenção do grau de consultor da Carreira Médica, anulando a suspensão e resgatando a Carreira Médica.

Os médicos, e em especial os médicos internos, não podem continuar à espera, nem podem continuar a ser prejudicados por estarem impedidos de progredir na Carreira. Já lhes basta serem de forma reiterada subavaliados e desvalorizados no seu conhecimento, competências e responsabilidade pelo Ministério da Saúde mesmo quando estão na linha da frente e na retaguarda de uma guerra biológica como a que vivemos, com todos os riscos inerentes conhecidos para si e para as suas famílias.

Atenta a situação atual de pandemia provocada pelo vírus SARS-CoV-2 e face à premência de realizar os exames de avaliação final de todas as especialidades médicas, assim como os concursos para habilitação ao grau de Consultor ou à categoria de Assistente Graduado Sénior, a Ordem dos Médicos recomenda que, sem prejuízo de poderem ser realizados presencialmente cumprindo as regras em vigor, os exames se realizem por videoconferência e que a prova prática seja substituída por casos clínicos, a título excecional dadas as atuais circunstâncias.

Com o intuito de colaborar e facilitar este processo, a Ordem dos Médicos coloca desde já à disposição das Unidades Hospitalares, Direções dos Colégios de Especialidade, Júris e Candidatos, os seus sistemas de videoconferência e as suas instalações nas regiões norte, centro e sul, para a realização dos referidos exames. Deixamos também como sugestão a possibilidade de os referidos exames poderem ser realizados nas instalações das ARS, da ACSS e das Sociedades Científicas (caso nenhuma destas entidades se oponha a que tal possa ser possível).

Num momento em que diariamente nos sujeitamos a riscos elevados para lutarmos pela saúde de todos os portugueses, é fundamental que o Ministério da Saúde dê sinais concretos aos médicos de que reconhece a sua importância e valor, nomeadamente respeitando a progressão na carreira dos mais novos, mas também dos mais experientes, dos quais depende o ensino e a transmissão do conhecimento. Só o trabalho e dedicação de todos – médicos internos e especialistas – é que nos tem permitido responder de forma exemplar a esta pandemia.

 

Porto, 24 de abril de 2020.

O Bastonário da Ordem dos Médicos

Miguel Guimarães