+351 21 842 71 00

Nova prova de comunicação médica: uma parceria entre a Ordem dos Médicos e o instituto Camões

A Ordem dos Médicos e o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P assinaram no dia 4 de junho de 2019 um protocolo, com o objetivo de desenvolver, em articulação, uma nova prova de comunicação médica.

A prova em questão comprovará as competências específicas de comunicação médica em língua portuguesa de candidatos de nacionalidade estrangeira e a médicos que fizeram a sua formação também em língua estrangeira. Luís Faro Ramos, presidente do instituto Camões, agradeceu à Ordem dos Médicos, na pessoa do seu representante máximo, Miguel Guimarães, a confiança depositada para “assegurar a proficiência linguística dos médicos estrangeiros que queiram exercer em Portugal”.

Miguel Guimarães, por seu lado, começou por enaltecer e agradecer a toda a equipa que, quer pelo lado da Ordem dos Médicos, quer do próprio Camões, desenvolveu o trabalho necessário para que se concluísse este protocolo, “uma ferramenta fundamental para que haja uma comunicação eficaz”. A Ordem dos Médicos tem, salientou, o dever se o garantir. Assumindo que têm existido queixas pontuais de doentes por falhas na compreensão de médicos estrangeiros, o bastonário congratulou-se com a certeza de que a associação ao Instituto Camões vai trazer fiabilidade e segurança na prova de comunicação. “A comunicação médica vai melhorar no futuro”, com a implementação da prova que será agora desenvolvida, reiterou. Sobre esta parceria, Miguel Guimarães enalteceu ainda os aspetos relacionados com a defesa da língua portuguesa, tema que tem promovido em diversas instâncias.

Já a Secretária de Estado da Saúde defendeu que sem uma boa comunicação a relação com os doentes não resulta e que é de facto “necessária uma ferramenta para avaliar a linguagem” pois é desejável que “os médicos entendam e se façam entender”.

Teresa Ribeiro, Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, foi a última interveniente desta cerimónia, e realçou que, como potencial doente de alguns desses médicos estrangeiros ou que tenham feito a sua formação fora, tem todo o interesse neste protocolo: “para bem da minha saúde”, referiu com um sorriso, mas sem deixar de sublinhar, já numa nota mais séria que “valorizo muito o protocolo que aqui se assinou” que é, além de importante para o entendimento e boa comunicação entre médico e doente, “um elemento essencial para a boa integração desses médicos”.

A assinatura do protocolo teve lugar no Salão Nobre do Camões, I.P., e contou com a presença da Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, e da Secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, assim como de outros dirigentes das duas instituições envolvidas neste protocolo.

Na foto de grupo: Francisco Sampaio, Dalila Carmo, Filipa Lança, Miguel Guimarães (da Ordem dos Médicos), Teresa Ribeiro (Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação), Raquel Duarte (Secretária de Estado da Saúde), Luís Faro Ramos (presidente do instituto Camões), Alexandre Lourenço (OM) e João Neves (instituto Camões)