+351 21 842 71 00

Instabilidade no Hospital da Cruz Vermelha preocupa Ordem dos Médicos

A Ordem dos Médicos tem acompanhado com preocupação a situação que o Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa atravessa, tanto em termos das dificuldades financeiras noticiadas como da instabilidade do seu corpo clínico e que nos foi recentemente transmitida através de uma carta dos seus profissionais.

Neste dia 8 de maio, em que se assinala o Dia Mundial Da Cruz Vermelha, a Ordem dos Médicos evoca o importante percurso histórico desta Instituição e o trabalho meritório que foi desenvolvido nas suas mais variadas áreas de intervenção, desde o apoio domiciliário, ao nível escolar, ajuda alimentar e cuidados médicos.

“A Cruz Vermelha Portuguesa foi sempre uma instituição de referência, muito em particular em algumas especialidades médicas desenvolvidas no seu hospital, que é um elemento importante no parque hospitalar português. Neste contexto, temos encarado com muita preocupação as notícias vindas a público, muito em particular algumas situações relatadas por colegas que ali trabalham e que destacam uma grande instabilidade nos últimos tempos, com impacto nas condições de trabalho dos profissionais e nos cuidados de saúde prestados aos doentes”, afirma o bastonário da Ordem dos Médicos.

Miguel Guimarães defende que na altura crítica da pandemia da COVID-19 que Portugal atravessa é ainda mais imperioso que os doentes com outras patologias não vejam os seus cuidados de saúde interrompidos.

“Deixo um apelo para que seja possível reencontrar um caminho que possibilite que o Hospital da Cruz Vermelha se mantenha como uma instituição de referência, o que passa por conseguir que uma administração desenvolva e implemente um projeto em total sintonia e respeito pelos profissionais que ali trabalham e sem nunca perder o foco na qualidade assistencial e na segurança clínica dos doentes”, reforça o bastonário.

 

Lisboa, 08 de maio de 2020

 

2020.05.08_NI – Instabilidade no Hospital da Cruz Vermelha preocupa Ordem dos Médicos