+351 21 842 71 00

INEM recua e mantém helicóptero em Viseu

Apenas dois dias depois de o Instituto Nacional de Emergência Médica ter anunciado que o helicóptero de emergência posicionado no Aeródromo Municipal de Viseu ia passar a operar temporariamente a partir de quinta-feira no Heliporto de Salemas, em Loures, deixando a zona centro do país a descoberto, o INEM veio anunciar uma reversão da decisão.

“A Ordem dos Médicos criticou desde logo a decisão inaceitável de deixar a zona centro totalmente a descoberto de uma resposta fundamental ao nível da emergência pré-hospitalar, como é o caso de um helicóptero do INEM, e que teria também impacto na atividade dos hospitais da região”, comenta o bastonário da Ordem dos Médicos.

Para Miguel Guimarães é “fundamental que a distribuição dos meios de emergência médica não crie iniquidades territoriais graves ou que acentue as assimetrias que já existem em Portugal, devendo o INEM pautar-se por uma atuação que gere confiança na população em vez de receios”.

Na segunda-feira, o INEM, em comunicado, tinha anunciado que o helicóptero de emergência posicionado no Aeródromo Municipal de Viseu ia passar a operar temporariamente a partir de quinta-feira no Heliporto de Salemas, em Loures. A medida foi criticada por várias personalidades e instituições, nomeadamente pela Câmara de Viseu. No período de 48 horas foi, afinal, possível encontrar condições para que o helicóptero continuasse em Viseu.