+351 21 842 71 00

Fórum TSF: bastonário defende que médicos não podem ser tratados como escravos do sistema

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, participou no Fórum TSF para comentar a proposta do Governo para manter jovens especialistas no serviço público de saúde que poderá assentar numa obrigação de permanência no SNS durante certo período de tempo.

“Isto não vai acabar bem”. É a previsão de Miguel Guimarães que lembrou que ninguém pode ser “obrigado” a escolher onde trabalhar, “como se fossem escravos do sistema”. “Num estado democrático, falar em obrigar as pessoas a ficarem num determinado sítio é péssimo. Isto não faz parte das democracias, faz parte dos estados autocráticos (…) não posso deixar de o dizer”.

O bastonário não tem dúvidas de que é necessário trilhar um caminho de “diálogo, o caminho de tentar melhorar as condições de trabalho das pessoas, o caminho de valorizar o que as pessoas fazem”, defendeu. Como mensagem final, Miguel Guimarães deixou claro que os médicos e os profissionais de saúde “querem todos que o Serviço Nacional de Saúde seja cada vez mais forte e com mais capacidade de resposta”.

Num comunicado conjunto, tornado público no dia 16 de novembro, Miguel Guimarães e a presidente do Conselho Nacional do Médico Interno, Catarina Perry da Câmara, solicitaram uma “clarificação cabal e detalhada das reais intenções do Ministério da Saúde quanto às medidas para fixação de médicos no SNS e respetivas condições de implementação”. Pode ler o comunicado na íntegra AQUI.

Também o Sindicato Independente dos Médicos criticou a proposta, acusando a ministra da Saúde de populismo. “Resolver o problemas através de anúncios populistas não me parece que seja a melhor solução”, afirmou Jorge Roque da Cunha.

 

Ouça aqui a intervenção do bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, no Fórum TSF: