+351 21 842 71 00

Formulário – Necessidades de comunicações móveis na pandemia COVID-19

A pandemia COVID-19 traz-nos a todos, e à Ordem dos Médicos em particular, desafios que tentamos superar, na missão de defender os doentes e os médicos que deles cuidam. Para conter a propagação e o impacto desta doença, a Medicina redesenha-se a cada dia.

Nesta emergência epidemiológica, o teletrabalho revela-se como pilar fundamental na reorganização das instituições de saúde, mantendo a proximidade aos doentes, à distância. Com esta metodologia, resolvem-se situações agudas, gere-se patologia crónica, prescrição terapêutica e fortalece-se a relação médico-doente.

Cuidando dos doentes (nas suas diversas necessidades) sem que estes tenham de sair de casa, a telemedicina protege-os da exposição aos serviços e espaços públicos e reduz a circulação não essencial de pessoas nas instituições de saúde.

Por outro lado, as áreas de atendimento COVID-19 fazem parte da linha de ação na abordagem inicial de doentes que, não apresentando critérios de internamento, serão acompanhados por telefone, durante a recuperação fora das instituições hospitalares.
A nova realidade traz necessidades até aqui não previstas.

Nas instituições de saúde o número de linhas telefónicas é, por vezes, desajustado às necessidades. Constata-se diariamente que os médicos recorrem aos telefones de uso pessoal para as suprir, assumindo integralmente os encargos inerentes.

A Ordem dos Médicos está a desenvolver esforços junto dos vários operadores de telecomunicações em Portugal através da APDC (Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações), no sentido da sua mobilização para a resolução das limitações nas comunicações que têm sido reportadas durante este momento de emergência nacional. Com esta colaboração pretendemos a disponibilização de minutos de comunicações sem limite aos médicos em regime de teletrabalho e/ou disponibilização de cartões alternativos.

Para operacionalizar esta abordagem que se encontra de momento em estudo, solicitamos que um colega de cada departamento/serviço/unidade preencha o formulário seguinte, até às 24 horas de dia 4 de abril.

 
Deste modo as necessidades apresentadas às operadoras serão as mais aproximadas da realidade o que nos irá permitir uma melhor definição da possível solução.

Acreditamos que a generosidade não tem limites.
A Ordem dos Médicos está profundamente grata.
 

Formulário disponível em https://forms.gle/w4SuyxoSf8Nujbir5

O Bastonário da Ordem dos Médicos
Miguel Guimarães

A Vogal do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos 
Inês Morgadinho de Mesquita